VIVER DE BLOG – A Evolução do Compartilhamento Digital – Módulo 2 | 1ª Fase

Saiba como eu, Rafael Gouveia, transformei um blog em minha principal fonte de renda

No início dos anos 2000, a internet era um território bem diferente do que conhecemos hoje. O e-mail, embora não fosse novidade, começou a ser utilizado massivamente como uma febre repentina. Tornou-se um canal para compartilhar vídeos, imagens e, curiosamente, apresentações de PowerPoint repletas de mensagens motivacionais e outros conteúdos variados.

Todos os dias, eu recebia centenas desses e-mails, com conteúdos que iam desde frases inspiradoras até imagens humorísticas e conteúdo para maiores de idade. A minha caixa de entrada estava sempre repleta, lembrando os atuais grupos de WhatsApp, onde se compartilha de tudo um pouco.

Essa troca constante de materiais me fez sentir a necessidade de contribuir também. Eu não queria apenas encaminhar qualquer coisa; buscava conteúdos que realmente me representassem. Assim, eu passava tempo criando apresentações no PowerPoint, editando fotos e selecionando o que enviar. Era um hobby que consumia parte do meu dia, mas que eu apreciava bastante.

Então, em um belo dia, enquanto navegava por um blog de imagens engraçadas — minha fonte habitual de materiais —, surgiu uma ideia:

Por que não criar meu próprio espaço na internet, em vez de só enviar emails?

Foi assim que a ideia de ter meu próprio blog começou a tomar forma; porém, não fazia ideia do impacto que teria. A ideia era simples, mas logo se tornou a chave para uma nova vida onde meu hobby se transformou na minha principal fonte de renda. Era o começo de algo grande, e eu estava apenas começando a desbravar esse caminho na internet.

primeiro layout1
Primeira versão do blog O Loxa, no Blogspot

O Nascimento do blog “O Loxa”

Naqueles tempos de e-mails em massa, eu tinha meus dois sites favoritos que visitava todo dia — Pilândia e Largados em Guarapari. Na verdade, eram blogs, mas eu ainda não fazia essa distinção. Os mais antigos na internet talvez se lembrem deles. Eram blogs de humor, sempre com novidades e que rapidamente se tornaram minha inspiração diária.

A vontade de criar meu próprio espaço online gritava, mas os “como” e “por onde começar” se aglomeravam na minha mente. Depois de algumas buscas no Google — que na época não era o oceano de informações de hoje —, tropecei na ferramenta que seria minha aliada: o Blogspot, uma plataforma simples, gratuita e perfeita para dar vida às minhas ideias.

Os Primeiros passos do “O Loxa”

O humor sempre teve um lugar especial no meu coração, seja através de vídeos hilários, imagens que provocam gargalhadas ou piadas clássicas. Sabia que esse era o meu nicho: o HUMOR!

Agora, o desafio era batizar o blog. Ansiava por algo original, algo que ecoasse a essência do que eu queria compartilhar. Foi então que a inspiração veio de onde eu menos esperava: as piadas inocentemente maliciosas de 5ª série do meu pai, que sempre tirava risos da família com suas perguntas de duplo sentido.

“Você conhece o Mario? Aquele que te pegou atrás do armário?”
“Conhece o Dunha? Aquele que te arranhou com a unha?”
“Conhece O Loxa? Aquele que te colocou no meio das coxas?”

E assim, entre risadas e memórias, “O Loxa” se apresentou como o nome perfeito. Com poucos cliques e zero conhecimento em HTML, escolhi um template quase pronto e busquei por uma imagem representativa. E lá estava ele: um Super-Homem alternativo, que só anos mais tarde descobriria ser mais do que apenas uma imagem engraçada, mas que naquele momento, se tornou o símbolo do blog. Era hora de fazer O Loxa ganhar vida e voz no vasto mundo da internet.

Como já relatei, o blog O Loxa surgiu daquela vontade de compartilhar conteúdos que, até então, eu fazia via e-mail com um círculo de amigos e conhecidos.

Nas primeiras postagens, eu basicamente selecionava o que de mais engraçado chegava na minha caixa de entrada ou o que encontrava nos já citados Pilândia e Largados em Guarapari. Sim, no início era uma cópia descarada, algo comum na internet, onde parece que nada se cria, tudo se transforma e se recria…

Com essas primeiras publicações no ar, chegou a hora de espalhar a novidade. Em vez de seguir enviando e-mails com novidades engraçadas, comecei a compartilhar o link do blog. Enviei feeds, convites para visitarem O Loxa, e aos poucos, a audiência começou a crescer!

Sucesso, grana e ambição

O Loxa despontou na internet com seu foco em humor, acumulando muitos visitantes e fãs que até enviavam fotos para aparecer no blog. No começo, os ganhos eram modestos, com alguns banners de afiliados mal cobrindo os custos de hospedagem. A descoberta de um ADS estrangeiro que pagava em euros foi um divisor de águas, mesmo que o conteúdo fosse adulto, e não demorei a adicionar seus banners ao site.

A ambição falou alto, e em busca de mais tráfego, decidi postar conteúdo de uma revista adulta famosa. O resultado foi imediato e esmagador: tantos acessos que derrubaram o servidor. Vi ali uma oportunidade de ouro e passei a postar mais desse tipo de conteúdo. Embora lucrativo, isso me custou a perda de parte dos fãs que preferiam o humor original do blog. Mas naquela altura, a receita compensava e segui assim por um bom tempo.

Mark Zuckerberg dominando o mundo. Fonte: @Abraham_tv

Adaptando-se às Mudanças do Mercado

O dinamismo do mercado digital exige uma capacidade constante de adaptação. À medida que o cenário do blogging evoluía, eu sabia que era crucial reinventar e atualizar minhas estratégias para manter “O Loxa” relevante e em crescimento. Foi então que peguei pesado e comecei investir mais no conteúdo adulto, isso foi bom, porém por algum tempo.

A Saturação do Mercado de Blogs

Desde o início da minha jornada na blogosfera, o cenário mudou drasticamente. A saturação do mercado é uma realidade, com uma competição acirrada exigindo adaptações e aprendizado contínuos em SEO e na criação de conteúdos originais e atraentes. Entre 2008 e 2010, vivenciamos uma espécie de febre: parecia que todos queriam ter seu próprio blog. Esse boom trouxe uma certa banalização e até certo preconceito contra a palavra “blog”, que passou a ser associada a algo trivial ou apenas a memes.

Apesar desse cenário de efervescência e rápida obsolescência, onde blogs populares surgiam e desapareciam em um piscar de olhos, mantive firme o O Loxa, navegando contra a corrente e preservando seu espaço na internet.

As Redes Sociais e os Blogs

Com o declínio do Orkut e o surgimento do Facebook, presenciei uma reviravolta nas dinâmicas de interação online. A fanpage do meu blog, beneficiada por um alto engajamento e uma base fiel de leitores, ganhou milhares de curtidas em pouco tempo, impulsionando ainda mais a visibilidade e a renda do blog.

Inicialmente, o Facebook parecia uma terra sem lei — um link compartilhado resultava em uma enxurrada de acessos. A plataforma, naquela época, não impunha barreiras ao alcance. Contudo, essa liberdade não durou muito. Mark Zuckerberg e sua equipe logo perceberam o potencial lucrativo e iniciaram um corte severo no alcance orgânico das páginas, condicionando a visibilidade ao investimento em publicidade.

Essa mudança foi devastadora para muitos blogs que dependiam exclusivamente do tráfego gerado pelas redes sociais. Blogs focados em conteúdos visuais estáticos ou memes foram gradativamente substituídos por fanpages. O Facebook, de certa forma, marcou o início do fim para inúmeros blogs, e hoje, dos muitos que surgiram durante aquele boom, restam muito poucos. Entre eles, ainda estou aqui, resistindo e me adaptando às constantes transformações do universo digital.

DALL·E 2023 11 08 19.00.06 An image of a content male blogger with Middle Eastern descent in a modern casual office setting. Hes looking at his computer screen which displays

A Expansão para Novos Projetos

O Loxa estava em alta, superando até meu salário de concursado público — que já era bastante atraente. Chegava a ganhar o dobro com o blog em comparação ao meu trabalho formal.

No entanto, com a constante evolução da internet, novos competidores surgiram, focados exclusivamente no conteúdo adulto, ameaçando a posição do O Loxa. Era óbvio que eu não podia ficar parado assistindo. Estava na hora de expandir horizontes e investir em novos projetos.

Explorando Novos Nichos

Com as mudanças nos algoritmos do Google, o velho método de “copiar e colar” perdeu eficácia, e a procura por conteúdos adultos no O Loxa já não era mais a mesma. Buscando inovação e algo mais autêntico, criei o The Simmers, um blog sobre “The Sims”, que rapidamente se tornou referência no Brasil para fãs do jogo.

Quando “GTA 5” foi lançado, percebi outra oportunidade e iniciei o GTA Mania, que explodiu em popularidade. No entanto, o sucesso não compensava o tempo que consumia, o que me levou a deixar o projeto no auge para me aventurar no universo de “Euro Truck Simulator 2” com o World of Trucks Brasil — um projeto que, infelizmente, não vingou.

A paixão não demorou a reacender com “Assassins Creed Origins”, dando vida ao Assassins Creed World, repleto de guias e tutoriais. Apesar do sucesso, o desafio de manter vários blogs tornou-se evidente, com alguns ficando para trás e outros custando caro sem trazer retorno. Precisava de uma estratégia para consolidar meus projetos ou focar em algo mais viável a longo prazo.

RG Games: O Salto para o Gaming

Diante de reviravoltas pessoais, decidi apostar tudo nos blogs e me dedicar integralmente a eles. Com anos de serviço público, tinha o direito de me afastar por um período, e foi o que fiz. Deixei Goiás e segui para São Paulo, pronto para um novo capítulo.

Em São Paulo, encarei o desafio de gerenciar múltiplos blogs e optei por uma solução prática: centralizar todo o conteúdo de games em um único local. Assim surgiu o RG Games, um “portal” que, na essência, mantém o espírito de um blog. Hoje, ele não é apenas minha principal ocupação, mas também uma das minhas fontes de renda.

middle aged slightly overweight Caucasian man with a round face and glasses his hair just beginning to gray sits in front of a computer in a cozy

Olhando para o Futuro

Diante do vasto e mutável oceano que é a internet, mantenho meus olhos no futuro, atento às novas tendências e possibilidades. Essa perspectiva me levou a diversificar meus projetos, criando novas plataformas de blog, como o Media Manager que, somadas, superam a renda que O Loxa e RG Games me proporcionavam, exigindo de mim menos horas de trabalho.

Os projetos que iniciaram minha trajetória ainda prosperam e continuam a contribuir para o meu sustento. Contudo, entendo que no ambiente digital é essencial estar preparado para o inesperado, sempre com um plano alternativo em mãos. O futuro, embora incerto, é também um campo fértil para quem está pronto para se adaptar e inovar.

Educação e Compartilhamento de Conhecimento

Atualmente, meu compromisso se estende além do suporte aos clientes em SEO ou Marketing Digital; ele abraça a educação. Anseio por repassar o conhecimento adquirido ao longo dos anos para os futuros blogueiros. Meu curso “Viver de Blog” é a realização desse desejo, uma plataforma onde compartilho não só o passo a passo para criar um blog, mas como transformá-lo em um empreendimento lucrativo.

Ofereço esse curso sem custo algum. Ao longo da minha jornada, muitas pessoas me auxiliaram, e agora, é meu momento de retribuir, de oferecer meu saber àqueles que realmente valorizam e, quem sabe, me verão como alguém que teve um impacto positivo em suas vidas.

Não busco reconhecimento pelo número de seguidores ou pela fortuna acumulada, mas pela experiência que compartilho. Desejo que, na minha ausência, as lembranças sobre mim sejam positivas: que eu tenha sido uma ajuda, que eu tenha sido o diferencial. Com a sensação de que meu tempo neste mundo pode estar se aproximando de um novo ciclo, quero deixar um legado que perdure.

Este artigo é um reflexo da minha jornada pessoal no mundo do blogging. É uma história de paixão, aprendizado e adaptação. E espero que sirva como inspiração para todos aqueles que desejam embarcar nesta aventura digital.

Rafael Gouveia

Especialista em SEO, Wordpress e Marketing Digital, Rafael tem 38 anos e é um apaixonado por tecnologia, computadores, videogames e chopp gelado. É o fundador e principal redator do Media Manager, além de atuar como programador, analista e gerente de mídias sociais. Rafael também escreve e compartilha dicas no blog RG Games, que leva o seu nome, e possui alguns canais no YouTube. Nos finais de semana, ele solta a voz como cantor. Além disso, é pai da pequena Maju.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo